Na contramão de países desenvolvidos, Brasil corta ciência e perde competitividade

Na contramão de países desenvolvidos, Brasil corta ciência e perde competitividade

Nem mesmo a pandemia e a eficácia inquestionável das vacinas e de outras estratégias científicas para conter a Covid-19 serviram para o governo de Jair Bolsonaro aprender a lição e voltar a investir na ciência.

😮O Brasil está indo na contramão do mundo desenvolvido.

Entre 2014 e 2018, os gastos mundiais com ciência e tecnologia aumentaram 19%, de acordo com a ONU, e após a pandemia a aplicação de recursos nessas áreas cresceu ainda mais globalmente.

👀Os Estados Unidos, por exemplo, aumentaram 10 vezes seu investimento em pesquisa em 2020 só na área biomédica, totalizando U$ 6,5 bilhões, de um total de US$ 500 bilhões investidos em pesquisa e desenvolvimento. O investimento da China também supera os US$ 500 bilhões. Enquanto isso, o governo de Bolsonaro cortou R$ 600 milhões do já pequeno orçamento para pesquisas no Brasil.

👊Não por coincidência, o Brasil ocupa o 75º lugar no Ranking Global de Competitividade de Talentos (atrás da Namíbia), sendo o 106ª quando analisada apenas a capacidade de atrair pessoal especializado.

Não há desenvolvimento sem investimento em ciência e nas universidades. Até quando o governo fará o Brasil irá ficar para trás?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp