Mentira: Ações afirmativas são injustas

Mentira: Ações afirmativas são injustas

😳 Alguns setores da sociedade distorcem informações sobre as realidades das universidades públicas e dizem que as ações afirmativas para negros, indígenas e estudantes de escolas públicas não respeitam a “meritocracia” e seriam injustas.  

➡ Nesse caso, é importante salientar que o acesso à universidade não diz respeito apenas aos méritos individuais. Uma parte da sociedade sempre teve que enfrentar muito mais barreiras econômicas, políticas e sociais para ter acesso ao ensino superior: 75% das pessoas pobres no Brasil são negras. Isso tem impacto direto no acesso a uma educação de qualidade: apenas 10% dos estudantes de escolas “top” são negros.

🎓 Políticas como as cotas e recursos para auxílio estudantil e programas para a permanência dos estudantes mudaram a cara da universidade pública no Brasil nas últimas décadas: agora, dois de cada três alunos de universidades federais vêm da escola pública, e sua renda familiar é de um salário-mínimo e meio, em média.

🤲 Além das cotas, bolsas e auxílios de moradia, alimentação e transporte, assistência em saúde e creches também garantem que alunos com fragilidades financeiras terminem seus estudos.

✊ Precisamos aprofundar essas políticas, ampliando e democratizando cada vez mais o acesso à educação pública!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp