Promoção para titular ameaçada

A exigência de celeridade nos trabalhos de GT Carreira e o repúdio a alguns critérios até então apresentados pela Andifes para a promoção para Titular são as conclusões da Apub na reunião com os professores da Classe Associado, ocorrida na última quarta-feira (31/07). As diretrizes gerais deveriam ter sido definidas pelo GT até o final de junho.

A proposta da Andifes, construída a partir de  critérios mais específicos e restritivos: para o Ensino, a exigência de ter  ministrado por mais de 10 anos, oito horas por semestre, apenas na graduação. O PROIFES se posiciona contrário, pois não corresponde à realidade das universidades, já que  os professores ministram aulas tanto na graduação quanto na pós-graduação. Com  relação à pesquisa, a proposta da Andifes exige o alcance  do fator h (citações da produção em periódicos) maior ou igual a 4, ou que o docente seja pesquisador 1 do CNPQ. A Andifes também  propõe a obrigatoriedade de que o professor tenha excelência tanto em pesquisa quanto em extensão.

Para a APUB, esses critérios excluem milhares de professores e pesquisadores e discriminariam áreas de conhecimento e regiões do país. Uma vez aceitas, essas propostas transformariam em frustração a vitória alcançada para milhares de professores.

A pressão sobre o MEC e a ação junto às reitorias e conselhos universitários para reverter essa posição são urgentes. A Apub abre o canal com sua base para exercer a pressão necessária na Bahia, provocando os demais sindicatos e o Proifes.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu