Professores da UFBA debatem sobre carreira

Reunidos na Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia, nesta quinta-feira (28), os professores discutiram a reestruturação da carreira. Os representes do Proifes, professor Nilton Brandão, da Andes, Josevaldo Cunha, e do Sinasef, Reinaldo Martins, apresentaram as respectivas propostas das entidades.

Professor Cunha falou sobre a importância da construção de uma pauta que atenda às reais necessidades dos docentes das instituições federais de ensino superior no país. Ele abordou ainda o fato de os ajustes feitos na carreira ao longo dos anos, por parte do governo, prejudicarem os professores, como no caso da criação da classe de Associado, com os 4 níveis.

Outro ponto abordado pelo representante da Andes foi a enrolação do governo na negociação do Grupo de Trabalho sobre reestruturação da carreira, que acabou sendo suspensa sem que o governo apresentasse uma proposta concreta. Defendeu a carreira única, sem classes, dividida em 13 níveis, com interstício de dois anos.

Reinaldo Martins, professor do IFBA, afirmou que os docentes das universidades federais são uma só categoria, apesar das especificidades dentro de cada segmento, por isso o Sinasef defende a construção de uma carreira única, assim como a Andes.

Nilton Brandão, professor do IF-PR e diretor do Proifes, informou que a proposta da entidade começou a ser construída em 2006 e discutida nos encontros nacionais, que acontecem anualmente. Além disso, explicou o porquê de a Federação insistir na separação das carreiras de Magistério Superior e Ensino Básico Técnico e Tecnológico, tal qual ocorre atualmente, além da manutenção das classes divididas em níveis, que devem ser conquistadas de acordo com a produção de cada um dentro da academia.

Segundo ele, o professor tem de chegar ao topo da carreira sem nenhum impedimento externo, dependendo apenas do trabalho desenvolvido na Ife. Outra questão apontada pelo diretor do Proifes foi a necessidade de se criar uma carreira cuja estrutura garanta a valorização da posição na carreira, assim como a valorização da retribuição salarial.

Expostas as três propostas, como o governo não enviou representantes, foi aberto o debate entre os presentes. Os professores propuseram fazer um quadro comparativo com as três sugestões das entidades representativas, destacando, principalmente, em relação à renumeração.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu