Nota da diretoria da Apub às (os) filiadas (os)

DIRETORIA DA APUB ESCLARECE

Em face às decisões tomadas pela Assembleia Geral, no dia 27-07-2015, a Diretoria da Apub Sindicato sente-se no dever de esclarecer as (os) docentes filiadas (os) o seu posicionamento quanto a, pelo menos, duas de suas deliberações.

A Assembleia aprovou, por 70 votos, as seguintes proposições: a) o interlocutor nas negociações com o governo federal dos professores da UFBA, campus Salvador, será o Comando Nacional de Greve da Andes; b) que não se deveria admitir, ao lado da mesa geral com os SPFS, negociações em uma mesa setorial (sobre temas específicos dos docentes).

A Apub Sindicato detém de forma legal, democrática e intransferível a representação dos seus docentes filiados, independente dos campi ou instituições em que estão lotados.

No âmbito das ações políticas, ressaltou a Diretoria que, no que lhe compete, apesar das dificuldades, vem, em sintonia com o Comando Local, envidando todos os esforços ao seu alcance para a melhor condução da greve em curso, participando efetivamente da execução dos encaminhamentos e de decisões do Comando Local de Greve e das deliberações de assembleias, sem se descurar do esforço pela construção de consenso e da unidade do movimento, em momento de tamanha gravidade para a Educação, para as universidades e suas professoras e seus professores.

A Diretoria destaca, ainda, que os processos de negociação com as instâncias do governo federal não são exclusividade de uma ou de outra entidade sindical e, por isso mesmo, seja a negociação do reajuste salarial e demais reivindicações do conjunto dos servidores públicos federais (SPFs), seja nas mesas setoriais da Educação, têm assento e se fazem representar todas as entidades constituídas. No primeiro caso, todas as entidades (mais de 30) representativas das várias categorias de servidores e, no segundo caso, entidades como PROIFES, ANDES, SINASEFE. Não há, portanto, razão, a não ser divergência de ordem política, para a tentativa de impedir o envio das deliberações da base da Apub para qualquer uma dessas entidades.

A Apub, visando garantir a mais ampla informação para os professores, tem enviado regularmente representantes para a Coordenação de Mobilização do PROIFES e para o Comando Nacional de Greve da ANDES. Respeitando, portanto, a pluralidade e buscando a convergência em torno da pauta dos professores, manterá o encaminhamento das reivindicações de suas bases às duas entidades.

A Diretoria considera um erro de estratégia que se adie até o fim das negociações gerais, a instalação da mesa setorial para tratar das reivindicações dos docentes, como carreira, condições de trabalho, caráter público da universidade, não aos cortes orçamentários, mais verbas, concursos públicos, dentre outros. A posição da diretoria é que a negociação concomitante é útil para garantir, no orçamento de 2016, tanto o atendimento da pauta dos servidores federais quanto da Universidade Pública e dos professores.

Por fim, diante das críticas ao PROIFES, a diretoria lembrou na assembleia que este vem apoiando a greve dos docentes filiados à APUB desde o seu início. Ressaltou também que a Federação tem combatido as tentativas do governo em reduzir a relação entre massa salarial e PIB, enfatizando o dano que a atual política de cortes representa para a efetiva implantação do PNE (Plano Nacional da Educação) e se articulando com entidades nacionais e internacionais em defesa da educação pública brasileira.

Deste modo a Diretoria considera que a intempestiva disputa pela representação dos docentes durante a greve pode trazer prejuízos enormes para nós professores.

Esta é a posição que, com sinceridade e clareza, a diretoria manifesta, ao tempo em que conclama a todas e todos para a unidade na condução do movimento grevista, essencial nesta difícil conjuntura.

Diretoria

Apub Sindicato

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu