No dia do estudante, atos defendem a educação pública e a Petrobras

Aproveitando o simbolismo do dia do estudante, em 11 de agosto, diversas entidades ligadas à educação, centrais sindicais e movimentos sociais realizaram atos, em várias capitais do país, em defesa da educação pública. Entre as atividades, aconteceu uma audiência pública na Câmara dos Deputados, em Brasília, sobre a pós-graduação, convocada pela deputada Alice Portugal, que contou com a presença dos presidentes da ANPG, CAPES, ANDIFES e SBPC.

Claudia Miranda, presidente da Apub Sindicato, também participou da reunião e destacou a importância do tema para os docentes. Apesar de reconhecer que houve avanços no crescimento e descentralização dos programas de pós-graduação, Claudia fez questão de ressaltar a necessidade de continuar lutando pela interiorização desses, atrelada à expansão das IFES e à necessidade de manter a mobilização contra o retrocesso a partir de cortes para o setor. “Segundo dados levantados pelo Proifes, um grande número de docentes sem doutorado ou até mestrado se concentra nesses campi do interior do país”, afirmou ela. Alunos da pós também se manifestaram relatando as dificuldades enfrentadas pelas suas universidades e pedindo visibilidade para suas reivindicações.

Ainda na Câmara dos Deputados, no auditório Nereu Ramos, manifestantes realizaram ato público em defesa da democracia, educação e da Petrobras. Veja nota pública divulgada pela CNTE

Em Salvador, houve caminhada, do Campo Grande à Praça da Piedade, de estudantes, servidores técnico-administrativos e docentes da UFBA, especialmente membros do Comando Local de Greve.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu