Necessidade de discernimento

A observação de uma árvore não nos deve fazer perder de vista a floresta. A reação indignada e emocional do ex-presidente Lula contra os Procuradores do Lava Jato, incluiu uma declaração contra os concursados que, seguros dos seus empregos e sem contato com o povo, acreditam ser donos da verdade. Esta declaração provocou reação de professores solicitando este pronunciamento da Apub.
Ao criticar, genericamente, os concursados o ex-presidente cometeu um erro. Nós somos concursados. O ingresso no serviço público, pelo mérito, é irreversível conquista histórica. Garante a autonomia que nós professores temos sabido honrar. Este erro de Lula não nos deixa fazer esquecer o erro maior que foi a apresentação dos Procuradores, que promoveram um “show” midiático, no qual o discurso político e os adjetivos desconsideraram a necessidade de apresentação de provas. O modo como a denúncia foi apresentada foi um grande exemplo da busca de condenação prévia e midiática, passando por cima do direito de defesa e da presunção da inocência. Isto provocou uma ampla reação nacional, inclusive entre muitos professores da base da Apub, os quais têm lançado manifestos, artigos, atos e debates contra o “golpe parlamentar” e condenam o “uso seletivo e midiático do processo judiciário envolvendo a operação Lava Jato”.
A universidade é o espaço de debate. Este é um momento que exige discernimento. Nós, intelectuais, temos o compromisso de buscar a verdade, ainda que em tempos nublados e tempestuosos.
Atenciosamente,
Apub Sindicato
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu