Ministro da Educação chama greve de precipitada

Na manhã desta terça-feira (10), em audiência pública da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado, o Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, repetiu o discurso de que a greve dos docentes federais foi precipitada, já que a data final para a negociação com o governo seria de 31 de julho. O diretor do Proifes Federação, Marcelino Pequeno, disse que o ministro equivocou-se na data, pois o prazo acordado com o governo para finalizar as negociações foi o de 31 de maio.

Mercadante ratificou que o Ministério da Educação (MEC) mantém a mesma proposta, que ainda será apresentada pelo governo. Entretanto, não informou nenhuma data prevista para que isto aconteça. De acordo com o ministro, a prioridade é valorizar a titulação, principalmente a de doutor e a dedicação exclusiva. Na ocasião, também reconheceu a necessidade de melhorar a situação dos Técnicos Administrativos e que o MEC tem se esforçado e estudado uma solução.

Sobre o investimento de 10% do PIB, previstos no Plano Nacional de Educação, o ministro questionou aos parlamentares quais seriam as fontes originárias para os R$ 200 bilhões extras, necessários para se atingir esse investimento.

Aloizio Mercadante, convidado para tratar sobre o Programa Nacional do Livro Didático (PNDL), também falou sobre os programas federais do Enem, Pronatec, Cotas nas universidades, Mais educação, entre outros. A Comissão de Mobilização Nacional do PROIFES esteve representada pelos professores Marcelino Pequeno e Mirtes Amorim, ambos da ADUFC- Sindicato, e pelo professor Edinaldo Pizzolato, da ADUFSCAR- Sindicato.

Por Mécia Menescal – Proifes Federação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu