EX-PRESIDENTES DA APUB CONTRA A TENTATIVA DE GOLPE NA DIRETORIA

Na condição de ex-presidentes da APUB, hoje APUB Sindicato, sentimo-nos no dever de vir a público manifestar, com serenidade, mas, ao mesmo tempo com preocupação e, por que não dizer, com indignação, o que se segue.

Como é sabido de todos, em meio à crise por que passam a categoria dos docentes da UFBA e a sua entidade de representação, com fortes divergências, informações e contrainformações, conflitos entre oposição e diretoria, tentativas de destituição da atual diretoria, contendas judiciais, não podemos e não devemos nos calar.

Com o advento do governo Lula e a reconfiguração dos ditos partidos de esquerda, formados em parte por militâncias egressas do próprio PT, multiplicaram-se as Centrais Sindicais, dividiram-se política e ideologicamente os trabalhadores, provocando, consequentemente, rupturas no seio das organizações sindicais. Em tal cenário, a ANDES – Sindicato Nacional rompeu com a CUT e passou a ser, talvez, a força mais rica e poderosa da CONLUTAS, o que ensejou o nascimento do PROIFES-Fórum, hoje PROIFES Federação, com novo modelo de organização sindical, à base de estratégias e práticas de negociação sistemática e continuada.

A Greve, deflagrada em maio passado, nasce marcada por esses conflitos estruturais. A deflagração da greve pela ANDES, antes de cumprido o calendário de negociação com o governo, radicalizou as dissensões e tensões entre ela e o PROIFES, o qual se manteve em negociação e assinou o Termo de Acordo com o governo, em 03/8/2012.

Entretanto, sob a já manifesta e decidida orientação da ANDES, parte dos docentes em greve na UFBA, base do PROIFES, investiu pesado na descaracterização, desqualificação e desgaste da direção da APUB Sindicato, com vista à retomada dessa base para as hostes da ANDES. Por isso, desde o início da greve, manifestaram-se posições e disseminaram-se propostas de destituição da Diretoria da APUB, sob o claro objetivo de fazer a entidade retornar à condição anterior de Seção Sindical da ANDES. São marcas e gestos incontestes de tal objetivo, a agressividade de grupos participantes das assembeias, atitudes, comportamentos e práticas do Comando Local de Greve que, rompendo com os procedimentos históricos, longamente pactuados ao curso das muitas greves na UFBA, se auto-constituiu como se diretoria eleita fosse, convocando assembleias com a marca da APUB, forçando para ocupar, ilegal e ilegitimamente, a presidência das assembleias, impondo ordenação de despesas e, por fim, propondo e convocando, ao arrepio da lei e dos Estatutos, “assembleia” para, sem quórum qualificado, com votos até de não associados, encenar destituição da Diretoria do Sindicato.

Perpetrada a ignominia, por faltarem legalidade, legitimidade e razões suficientes para tal ato, porquanto, divergências de natureza política não se constituem em causa para destituição de dirigentes sindicais, não restou à Diretoria, senão bater as portas dos tribunais, para fazer valer, como pressuposto básico da democracia e do Estado de Direito, o voto livre e direto dos associados que a elegeram.

Não temos dúvidas, não se trata aqui da defesa dessa ou daquela diretoria, mas daquilo que, como cidadãos e educadores, nos é mais caro, a saber,  o Estado de Direito, a democracia, as liberdades democráticas, o voto direto, livre e soberano na escolha dos nossos representantes.

Por fim, conclamamos a todos que nos unamos à Diretoria eleita da APUB na defesa dos princípios que nortearam as árduas lutas travadas por tantos colegas e companheiros na construção de nossa entidade sindical e, que as próximas eleições, que se avizinham, constituam a nova diretoria, independentemente de colorações ideológicas ou político-partidárias, mas, em consonância à vontade manifesta da maioria dos docentes da UFBA, UFRB e IFBA, base da APUB Sindicato.

Saudações universitárias e sindicais,

Guilherme Requião Radel
(agosto a dezembro de 1968)

Joviniano Soares de Carvalho Neto
(1983-1985, 2000-2002 e 2006-2008)

João Augusto de Lima Rocha
(1985-1987)

Israel de Oliveira Pinheiro
(1993-1994  e 2008-2010)

Aurélio Gonçalves de Lacerda
(1996-1999)

Uilma Rodrigues de Matos Amazonas
(1999-2000)

Claudia Miranda de Souza
(2004-2006)

Salvador, 14  de setembro de 2012

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu