Carta da presidenta da Apub Sindicato à Comunidade Universitária

New York, 19 de junho de 2012

Prezados(as) companheiros(as), em especial professoras e professores da UFBA, UFRB e IFBA

Nestes 18 meses de gestão, como Presidenta da Apub, junto à diretoria eleita, estivemos de modo responsável levando aos docentes todas as informações decorrentes do processo de negociação com o governo, iniciado em abril do ano passado e que resultou no acordo assinado pelas entidades representativas (Proifes, Andes e Sinasefe). Como membro do GT de Carreira, após realizaçao de varias assembléias e seminários que definiram nossa proposta de carreira participei das reuniões  em Brasilia e de visita a parlamentares baianos solicitando apoio às nossas reivindicações. Do mesmo modo, dirigi a Assembléia Geral no dia 29 de maio que aprovou o indicativo de greve, encaminhado depois para a consulta através do referendo. Após esta data, me afastei da Presidencia, em  ferias que já estava programada desde janeiro, para assistir ao nascimento da minha segunda neta que  veio ao mundo conforme previsto no dia 03 de junho. Jamais poderia deixar minha filha única sozinha no parto, com uma filha de 01 ano e meio, fora do país e longe da família e de amigos.

Por outro lado, nem de longe poderia imaginar que a situação política da Apub poderia neste curto  período   ser tão conturbada e turbulenta. Tenho claro que esta situação é  decorrente da morosidade do governo em atender às nossas reivindicações, que a acena com promessas de negociação, mas  de modo unilateral, suspende as reuniões, desgastando a cada dia a nossa confiança e corroendo as esperanças de vermos a curto prazo, resolvido este caos em que se transformaram as instituições federais de ensino.

Neste momento, embora acompanhando diariamente a situação nacional e local, estou sem qualquer possibilidade de retorno imediato e com a angustia de “assistir” de longe  a tudo. Estou  torcendo  para que os motivos que nos unem, e que  estão na pauta das nossas entidades representativas, sejam suficientes para superar as diferenças que nos separam. Torço para ao meu retorno, encontrar a Apub cada vez mais forte e representativa dos anseios docentes e que juntos, continuemos lutando para sermos dignamente remunerados, como merecemos, e  defendendo a universidade pública, gratuita e de qualidade.

Até breve.

Profa. Silvia Lúcia Ferreira – Presidenta da Apub (afastada, por férias)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu