"A luta em defesa da universidade não tem dono", diz reitor da UFBA

O ato em defesa da educação e da universidade pública, convocado pela reitoria da UFBA e com o apoio da Apub, Assufba e DCE, aconteceu na manhã desta segunda-feira (25) e reuniu estudantes, servidores, docentes e representações políticas e sociais no Salão Nobre da reitoria. Diante de um grande público, que lotou o Salão, o ato foi aberto pelo coro Madrigal da Universidade que entoou o Hino Nacional. Representando a Apub, estiveram presentes a presidente Cláudia Miranda, que ocupou lugar à mesa, a vice presidente Livia Angeli e os diretores Joviniano Neto, Cláudio Lira e Luciene Fernandes.

O reitor João Salles destacou que o ato não era um pedido de socorro, mas um gesto de luta que deve contar com a participação de todos. Ele reafirmou que, mesmo com os cortes, a assistência estudantil será assegurada e garantiu que haverá outros espaços para o debate a participação na defesa da universidade. “Temos um longo caminho pela frente”, disse.

A importância da unidade como estratégia de luta pela educação pública e contra o avanço do conservadorismo foi o aspecto mais destacado das falas dos presentes. Cláudio Lira convocou os docentes para a assembleia do dia 28 e ressaltou a importância de participar dos atos do Dia Nacional de Paralisação (29 de maio) “Não podemos ficar só no discurso da unidade. Estamos saindo para as ruas para defender um projeto de universidade e um projeto de nação”, disse.  Cláudia Miranda reiterou o pedido de participação e lembrou ainda que a luta em defesa da universidade está articulada com a necessidade de reformas estruturantes no país, a exemplo da reforma política. Ela também destacou o papel da Apub na construção de uma universidade qualificada e democrática. “Defender os professores é defender a universidade federal”, finalizou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu