15 de março será dia de paralisação e mobilização, define Assembleia

A Apub realizou no dia 15 de fevereiro, no auditório do PAF V (campus de Ondina/UFBA) sua Assembleia Geral para discutir a Campanha Salarial da categoria e a participação no dia 15 de março, convocado pelas centrais sindicais, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e entidades ligadas à educação básica, como Dia Nacional de Paralisação/Greve em defesa dos direitos, da educação e contra a Reforma da Previdência. Por unanimidade, a Assembleia aprovou paralisação na UFBA de Salvador bem como a realização de atividades culturais pela manhã e participação em ato de rua à tarde. Deliberou-se também pela organização de um calendário de passagem em unidades, nas primeiras semanas de março, para promover o debate e convocar docentes e estudantes para as atividades. Haverá nova Assembleia preparatória no dia 09 de março. Em relação à Campanha Salarial, foi destacada a necessidade de politizar o debate, relacionando-o com a PEC do teto dos gastos e as reformas propostas pelo governo Temer. A plenária considerou que antes de definir um índice de reajuste era preciso realizar um estudo sobre a evolução dos salários dos docentes em comparação com outras categorias de servidores. A participação da Apub no Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (FONASEFE) foi outro encaminhamento aprovado.

Encaminhamentos:

Sobre o dia 15 de março

– Aprovada paralisação e atividades de mobilização no dia 15 de março, em defesa da educação e contra a reforma da previdência;

– Construção de calendário para passagem nas unidades da UFBA, convocando para o dia 15;

– Participação na Mudança do Garcia com material contra a reforma da previdência;

– Nova Assembleia dia 09 de março, com possibilidade de participação de outras categorias para preparar o dia 15.

Sobre a Campanha Salarial

– Para politizar o debate na Assembleia, realizar avaliação de conjuntura, identificando a centralidade da luta: contra a reforma da previdência e trabalhista, luta pela construção da greve geral;

– A Apub deve participar das reuniões do FONASEFE (próxima reunião dia 21/02/2017) e levar como reivindicações para a Campanha Salarial índices para recomposição do salário, a reestruturação da carreira, condições de trabalho e o financiamento dos serviços públicos; isto implica na luta contra as reformas trabalhista e da previdência, a revogação da PEC 55 e a construção da greve geral;

– Realizar através do DIEESE um estudo comparativo da remuneração dos professores com outros servidores públicos, do governo Sarney até Temer. Demonstração de perdas para se chegar ao índice adequado de recomposição salarial.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu